Apenas outro dia…

os dias passam, levam consigo memorias, sorrisos marcantes, abraços aconchegantes.
os sonhos feitos, ou esquecidos em tentativas falhadas, marcam nas mãos as vezes que me fizeram lutar, nunca foi em vão, nem tão pouco me causaram arrependimento.
pelas vezes que cai e me reergui, como uma Phoenix, fiz das lagrimas cinzas, delas renasci e com uma força invulgar conquistei o meu lugar.
hoje não temos abraços, temos cotoveladas… que não sejam as mascaras motivos para não haver sorrisos, mas a vida segue…
apenas mais outro dia.

Um pedaço de tesão

Hoje dei pra isto… Pensar em ti e resumir em cinco letras, o sentimento e a vontade que tenho quando estou contigo.

Sorriste… Tesão, vontade de complementar o teu sorriso com um beijo meu e sorrir depois.

Espirraste… Tesão, vontade de dizer, saúde. Te abraçar para não resfriar e dar um beijo e sorrir depois.

Piscaste os olhos… Tesão, vontade de retribuir com o meu piscar de olhos, dar um beijo e sorrir depois.

Fizeste sombra pra cima de mim… Tesão, vontade de dizer pra ser eu a tua sombra, dar um beijo e sorrir.

E vais tu perguntar, porque tem tanta tesão no que escrevi? Simplesmente para fazer ler até ao fim…

Porque a palavra com cinco letras que me deu para resumir nada mais é que te fazer SORRIR.

Tens o sorriso mais lindo do mundo, nunca o deixes de mostrar, 😁

by: Cláudio Bravo

Serei…

Serei como a gaivota, abrirei as asas e voarei… Sem rumo, sem destino.
Quando na realidade meu destino de sonho, seria o teu abraço.


Serei como o vento, invisível e imparável, mas ao tocar teu rosto, nele verás o meu, parado… A espera de um beijo, em forma de verso… Tamanho do coração, és o meu universo.

By: Cláudio Bravo

Brilho nos olhos

Hoje conheci a versão de ti,
Sem contrastes nem sombras
Conheci-te pelo toque das tuas mãos,
Pelo brilho nos olhos.

Senti um aperto no coração
Quando o tempo passou
E na retina dos seus olhos me vi,
Oh está minha paixão.

Hoje eu te revi,
Não foi um sonho…
Sentido abraço que dei.
No fundo faltou o beijo…
Um sorriso ganhei.

Perdi a conta, os olhares,
No brilho dos teus olhos
As vezes que te sorri…
No fundo eu sou assim.

Mentalmente te desenhei,
Guardei-te no coração
Feito esboço de papel,
O que mais eu queria…
Segurar a tua mão.

Feito de ti

O que sou, sem ti… Um vazio distante, ausente de mim. Sem eco, escondido entre sonhos e desejos.

Sou um poema inacabado,uma música sem melodia, ritmo noctívago das marés. Ondas que vão e voltam sem um porquê.

Feito de ti… Componho sorrisos, que me deste dia após dia. Curaram lágrimas e tristezas, mataram a solidão e encheram meu coração.

Como uma tatuagem, cravei letra a letra do teu nome, sobre o sangue quente do meu peito, rasguei a pele e te guardei no coração.

Lembro o loiro dos teus cabelos, por onde meus dedos navegaram, num carinho que te dei, em troca um sorriso e um abraço, foi o que ganhei

Assim feito de ti, do teu sorriso, do teu abraço… Do beijo que não te dei, fiquei preso no tempo, em câmara lenta, a tua espera.

Voltarei um dia ao teu abraço, ao meu refúgio… Ao teu sorriso que guardo na minha memória de RAM… E num ápice um beijo me fará reset.

by: Cláudio Bravo

A tua voz..

Eis que me calo,
Ao som angelical da tua voz,
Que nem poesia…
Parece magia.

Notas saídas da tua boca,
Tocam de leve no meu ouvido.
Hipnose que me paralisa,
Acelera o meu coração,
Faz-me sonhar…

Faço acordes, pautas músicas,
Mas a tua voz…
Essa é demais, arrebata o melhor de mim.

Faz-me sonhar acordado,
Dum jeito enamorado.

Aí essa tua voz.
Enche a minha vida de paixão,
Louco o meu coração.

by: Cláudio Bravo

Dejavus

Outra vez… Momentos que se repetem na minha mente, pensamentos de ti. Como um rewind, e num ápice te tenho de volta, como um aperto no peito.

Memórias que se desvanecem durante o dia e no cair da noite flutuam sobre o manto dos meus sonhos, repetitivas séries de momentos que vivi na tua companhia, que nem um dejavu.

Películas feitas filmes de nós, em slow motion quase paramos o tempo, juntos braço a braço nos cruzamos e amamos o instante, hoje o filme serei eu e o meu medo de acordar, sem ti.

Promessas

Prometi o mundo, o que não tenho nem posso dar, em troca te peço um sorriso, um abraço apertado

Peço o som da tua voz, o brilho dos teus olhos, onde vejo os meus… São pedidos banais, mas que tudo faço para ser merecedor, bem como promessas por um instante do teu dia.

Voarei até à lua, cobrirei o céu de nuvens, a chuva será uma promessa que te faço, num dia de calor, mas ao cair da noite terás o meu amor.

Caído no canto do meu quarto, retrato rasgado do teu sorriso misturando a cinza com as labaredas, arde o fogo, queimam as saudades, que mato ao escutar um áudio da tua voz.

Um sotaque adocicado e quente, num tom que me enfeitiça, mostrando o fraco de mim, quando penso em ti.

Promessas… Uma a uma cumprirei se me deres um sorriso e um abraço, queimarei velas, pintarei mundos ao avesso e roubarei os astros que nos guiam dia a dia.

by: Cláudio Bravo