Desem…prego

Hoje cravei mais um,

Fiquei pregado a cruz, e num ápice… Nada mais a fazer.

Senti-me a morrer, ao som do último prego… Último trabalho, menos um dia.

Assim se foi a minha alegria, num caixão feito de saudade, do tempo que se foi e não volta.

Na mão o toque fugaz do tempo, como se me pagasse pelas horas feitas, num desapego… E vai mais um prego.

Desemprego, filas a espera da esperança… Conto o tempo que a idade levou… Num currículo escrito a mão… Cheia de rugas, de calos.

Mais um dia, martelo o tempo… Sons que me levam ao esquecimento, ao vazio… Saudade.

Desemprego o tempo que tenho na busca de algo que pague o tempo que me resta.

by: Cláudio Bravo

Autor:

Sou um apaixonado pela vida, louco de paixão pelo meu filho e descobri na escrita este encanto pelas palavras... Por isso dedico de coração a todas as pessoas especiais da minha vida.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.